3.10.2017

EVENTOS NO RIO DE JANEIRO






O diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel, esteve no RioContentMarket na quarta-feira, 8, para um balanço sobre os 15 anos da agência e desafios para os próximos anos. Rangel tem um pouco mais de dois de meses de mandato e fez uma avaliação positiva dos acontecimentos enquanto esteve à frente da Ancine, destacando a necessidade de dar continuidade ao trabalho consistente porque ainda há muito a conquistar. E usou uma metáfora: “Fazer política audiovisual é como andar de bicicleta, se parar, cai; se não for flexível, cai”.
Uma das maiores conquistas e desafio ao mesmo tempo, é o mercado de licenças. Segundo o diretor-presidente da agência, é preciso buscar mais equilíbrio nas parcerias entre TV e produção. A Lei 12.485 trouxe grandes benefícios para a relação entre produtores e executivos de televisão Em 2016, foram veiculadas 87.902 horas de conteúdo independente brasileiro em canais de TV por assinatura, o que representou 10,9% de toda a programação de canais de espaço qualificado. São 104 canais que cumprem cotas de conteúdo nacional atualmente.
Estimular a produção regional também deve estar na pauta da agência para os próximos anos. Uma iniciativa nesse sentido foi a criação do PRODAV TV Pública. O primeiro edital rendeu 249 horas de programação para 199 TVs públicas envolvidas nas chamadas. Os produtores já estão negociando uma segunda janela para as produções com a TV paga. Uma segunda edição do edital está em andamento e Rangel disse que a uma terceira está prevista.
Entre os pontos a serem desenvolvidos, Rangel mencionou ainda a necessidade de um marco regulatório para os serviços de VOD. Um levantamento feito pela agência em 2016 mostrou que há 16 serviços de vídeo on demand em atuação no Brasil. “Os agentes econômicos atuantes nesses serviços são dos mais diversos setores. É um desafio dar uma atenção especial ao marco regulatório e acompanhar a tecnologia e a relação dos consumidores com o serviço”.
O fortalecimento das distribuidoras brasileiras deve seguir como prioridade na pauta. “É imprescindível fortalecer as distribuidoras brasileiras e ampliar alternativas de distribuição. As distribuidoras brasileiras são responsáveis por mais de 80% dos títulos em cartaz”, destacou Rangel. A produção de filmes brasileiros tem crescido nos últimos anos e a expectativa é que em 2017 seja superada a marca dos 143 filmes nacionais lançados em salas de cinema em 2017.
Se a distribuição precisa ser fortalecida, a exibição também merece atenção especial. Segundo Rangel, é preciso estimular e dar suporte aos pequenos exibidores. Atualmente, o país conta com uma sala de cinema para cada 65 mil habitantes. “A situação ainda é ruim, mas já é uma melhora”, diz.

2.10.2017

LIVROS SEMPRE UM BOM PRESENTE!

Autora best-seller de eróticos lança seu novo livro ‘Como seduzir um bilionário’







Ela tem 29 anos, uma vida monótona e sonha com o príncipe encantado que vai tirar sua vir­gindade. Ele é um lindo bilionário, viúvo, que jurou nunca mais amar ninguém. Jess Lockhart e Ellis McKenna aparentemente não têm nada em comum. Será? Em Como seduzir um bilio­nário, novo livro da best-seller Portia da Costa, a dupla experimenta as mais picantes e envol­ventes situações.
Na trama, a jovem Jess tem um trabalho bu­rocrático numa seguradora e vê seus sonhos mais íntimos se materializarem na figura do herdeiro Ellis, um belo homem que prefere circular com um figurino despojado a se engessar num terno engomado. Mas Jess quer mais do que um homem que a inicie nas artes sexuais, ela quer um companheiro. Porém Ellis não está disponível para esse tipo de comprometimen­to. Jess, no entanto, não desistirá tão facilmente de seu objetivo.
Como seduzir um bilionário é terceiro livro da autora que a Editora Planeta lança no Brasil. Bem profundo, um dos anteriores, já vendeu mais de 30 mil exemplares por aqui e popularizou o nome de Portia Costa en­tre os amantes da literatura erótica.

“Eu não poderia fingir para você, Ellis McKenna. Você viu através de mim. Você sabia que havia alguma coisa. Mas vou precisar disfarçar para todas as outras pessoas”.

Sobre a autora:
Desde 1991 a britânica Portia da Costa dedica-se aos romances eróticos e seu nome virou referência do gênero em todo o mundo. Seus mais de vinte livros já foram traduzidos para o italiano, espanhol, alemão e japonês, entre outras línguas. No Brasil, seus maiores sucessos são os picantes e inspiradores Bem profundo O desconhecido, ambos lançados pela Editora Planeta.

FICHA TÉCNICA: COMO SEDUZIR UM BILIONÁRIO Páginas 320 | R$ 39,90


Autor de “Apoiando Hitler: consentimento e coerção na Alemanha nazista”,
 historiador Robert

Gellately constrói panorama de ascensão e queda do ditador russo Josef Stalin


As origens da influência internacional de um dos ditadores mais temidos do mundo. Nos anos 1930, já tendo se tornado em tudo um ditador, Stalin empregava o terror como método de governo, justificando-o como maneira de preservar a revolução dos ataques de seus inimigos internos e externos. Ao mesmo tempo, fomentava um culto à liderança que o transformou em uma espécie de deus, a inspirar ativistas e simpatizantes ao redor do mundo. Com base em numerosos documentos originais russos e outras fontes do Leste Europeu, liberados após o fim da União Soviética, além de muitos outros documentos alemães, americanos e ingleses, o historiador best-seller Robert Gellately delineia as origens da crescente influência internacional do tirano, que se inicia nos primeiros dias da Segunda Guerra Mundial e permanece mesmo após sua morte, em 1953. O autor ainda examina o papel central desempenhado por Stalin – com consciência estratégica – no trabalho de implementar o comunismo na Europa e em todo o mundo, de maneira que, ainda hoje, muitos milhões de pessoas aguentam nos ombros seu legado – ou sua maldição.




Livros da Editora Alaúde vencem etapa brasileira do Gourmand World Cookbook Awards

Três títulos publicados pela Editora Alaúde em 2016 foram reconhecidos pelo renomado concurso Gourmand World Cookbook Awards, a única premiação internacional para livros de gastronomia. As obras foram selecionadas pelo júri como as melhores do Brasil em suas categorias e agora vão disputar o título de melhores do mundo com os vencedores de outros países. O resultado será anunciado na cerimônia de entrega do prêmio, em Yantai, China, nos dias 27 e 28 de maio. Confira os títulos vencedores:

Cozinhando em família, de Natália Werutsky – categoria Best Food & Family Book
Por amor ao sabor, de Dalton Rangel – categoria Best TV Chef Books
Detox dia a dia, de Astrid Pfeiffer – categoria Best Diet Cookbook

O presidente do júri e criador do prêmio, Edouard Cointreau, elogiou o trabalho da Alaúde, mencionada como uma das editoras de destaque no mercado de livros de culinária, e falou sobre as obras escolhidas para representar o Brasil na etapa mundial. Sobre “Cozinhando em Família”, de Natália Werutsky, Cointreau lembrou que, em um país onde a família é tão importante, o livro vem para inspirar as refeições do dia a dia e promover ainda mais o convívio familiar. Já sobre a obra de Dalton Rangel, “Por amor ao sabor”, o presidente destacou o tributo feito ao chef que, por meio de suas receitas, apresentou toda a sua expertise do mundo gastronômico enquanto resgatava sua trajetória de vida. A obra “Detox dia a dia”, de Astrid Pfeiffer, autora veterana do prêmio, também foi elogiada por desmistificar a alimentação detox. Em 2012, Astrid foi a vencedora brasileira da categoria Best Vegetarian e ficou em segundo lugar no ranking mundial em sua categoria. Nos últimos anos, outros títulos da Alaúde também foram destaque na premiação, como as obras “Naturalíssima”, “Viagem gastronômica à França”, “Festa da Rebeca”, “O grande livro da Palmirinha” e “Brasilidades”.

Sobre o prêmio:
Em 1995, durante a Feira do Livro de Frankfurt, Edouard Cointreau percebeu que os livros de gastronomia não recebiam o destaque que ele julgava merecido. Assim, reuniu um grupo de amigos e editores do mundo todo, com o apoio do The International Cookbook Revue, e criou o Gourmand World Cookbook Awards. Hoje, mais de 20 anos depois da primeira edição, o prêmio continua a prestigiar os melhores livros de gastronomia e enologia do mundo, tanto impressos como digitais, conferindo a essas publicações o título de Best in The World. Participam da premiação livros de mais de 205 países.